segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Uma palavra quente rente à boca.



Saí de casa, com aquela sensação de que algo iria dar errado, afinal, minha relação com o Açaí Biruta nunca foi das melhores. Primeiro uma noite pra esquecer o fim de um relacionamento; depois, primeira noite, do primeiro Se Rasgum, falta de energia e quase três horas pra solucionar o problema e mais uma negativa pra conta. Pra finalizar, show do Mombojó foi uma sucessão de erros, mas nesse ainda bem que não fui.

Com esse pensamento que desci do táxi e me encaminhei à bilheteria junto com mais dois amigos, e de cara, primeiro problema. A lista ainda não estava lá, nem os ingressos estavam lá. Esse seria o indicativo pra mais um ponto contra o lugar? Ok, sou paciente, esperei e o problema foi resolvido em pouco tempo, o que já me deu um alívio!

Algumas horas depois, subiu ao palco o Paralelo XI, banda da cidade de Primavera, próxima a Capanema, interior do Pará. Legal! Um pop que às vezes pesa nas guitarras, até que veio o primeiro “samba” da noite. Pensei “isso vai dar o que falar!”. Deixaram uma sensação boa. Vou fingir que sei alguma coisa e fazer pequenas ressalvas: se uma banda tem dois guitarristas, as duas guitarras devem aparecer e não se pega Cartola indiscriminadamente para fazer qualquer coisa.

Depois de duas boas apresentações nas semanas anteriores, quem subiu ao palco foi o Plug Ventura. O show começou bem, até a candidata a hit “Amnésia”, mas algo desandou e deixou visivelmente irritado o vocalista. Penso que nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos, então, não é motivo pra desanimar e sim trabalhar mais, pra eliminar toda e qualquer possibilidade de acontecer o que tenha acontecido dessa vez.

Hora do Suzana Flag no palco e eu realmente não sabia o que esperar. Show dividido em duas partes. A primeira e maior com as novas músicas. A galera agitou, já que pelo menos duas estão tocando em algumas rádios. Na segunda, algumas músicas antigas e celebração total na platéia.

É sempre bom ver o Joel tocando aquela guitarra com um suave dedilhado e riffs nos lugares certos. Vou mais uma vez fingir que sei algo, pra dizer que ele sabe tirar o som necessário do instrumento, pra música da banda. Dividindo as guitarras com Joel, Elienton “Nicolau” Amador (Norman Bates), que deu um peso legal nas músicas. Baixo e bateria seguros, e com isso, Suzane mais segura cantando. Ansioso pelo disco!

Mas a noite era de lançamento de DVD e o Los Porongas subiu ao palco, três anos depois de passar por Belém. A diferença da primeira vez foi ver uma banda madura e bem resolvida. Tocaram as músicas do primeiro disco, com direito a participação do irmão vocalista e compositor de Diogo Soares, Daniel, da banda Sincera, na música Subvertigem. Come Together dos Beatles, foi cantada com a presença do Acácio, da banda Filhos de Empregada, com direito a um tal “galera da laje” de incidental, que eu ainda não sei dizer se realmente gostei!

A noite teve saldo bom. Parabéns ao Coletivo Megafônica pela iniciativa, que tira um pouco a responsabilidade das costas dos Se Rasgum e divide com essa turma nova a promoção de festas e shows. Que venham os próximos, que pelo visto só tendem a melhorar. Quanto ao Açaí Biruta, continuo não gostando do lugar, mas espero que a maldição das coisas darem errado por ali tenha acabado.

Megafônica: http://megafonica.blogspot.com/
Los Porongas: http://www.myspace.com/losporongas
Plug Ventura: http://www.myspace.com/plugventura
Suzana Flag: http://www.myspace.com/bandasuzanaflag

2 comentários:

  1. muy bueno el blog !!! saludos desde Argentina.

    ResponderExcluir
  2. parabens pelo texto e obrigado pela generosidade, Picadobates.
    Grande ab.
    http://qualquerbossa.blogspot.com

    ResponderExcluir