sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Tudo parece ser tão real, mas você viu esse filme também.




Provavelmente todo mundo deve lembrar o que estava fazendo por volta de nove da manhã em 11 de setembro de 2001, quando as emissoras começaram a noticiar os atentados ao WTC. Muitas pessoas morreram e a “sensação de insegurança” se espalhou até em paises que não tem nenhum histórico de conflitos nesse sentido. A partir daí iniciou a guerra contra o terrorismo.

No cinema, essa guerra já havia começado bem antes, em 1994 quando o terrorista Ryan Gaerity foge de uma prisão na Irlanda do Norte, vai para os EUA e se depara com Jimmy Dove, membro do esquadrão anti-bombas de Boston. Tommy Lee Jones é o terrorista e Jeff Bridges o policial, e travam uma batalha em cenas de muita ação, adrenalina, explosões e morte de civís. Contagem Regressiva foi dirigido por Stephen Hopkins e também trás no elenco Forest Whitaker, ganhador do oscar de melhor ator pelo papel de Idi Amin Dada no filme O último Rei da Escócia. A trilha sonora é embalada pelos Irlandeses do U2.

No ano de 1999, dois anos antes dos ataques ao WTC e Pentágono, Jeff Bridgs voltou às telas mais uma vez com um filme sobre terrorismo. Em O Suspeito da Rua Arlington, ele é um professor de história que depois da morte da esposa, passa a detonar o sistema de inteligência dos órgãos de segurança nos EUA. Cria amizade com os novos vizinhos interpretados por Tim Robbins e Joan Cusack. Psicótico ele começa a achar que seus vizinhos têm um plano para explodir um prédio público e que são, na verdade, terroristas. Um filme cheio de suspense que teve direção de Mark Pellington.

Em várias passagens de O Suspeito da Rua Arlington, o professor fala para os alunos de erros de estratégia do FBI ao analisar informações sobre possíveis ataques terroristas e a omissão política diante do fato já consumado. Algo parecido com o que aconteceu depois dos atentados da vida real, quando as autoridades afirmaram ter conhecimento do plano, não fizeram nada e o governo iniciou uma guerra que muitos julgam sem pé nem cabeça como desculpa para capturar o culpado.

O 11 de setembro de 2001 é a data que todos lembram como “o dia do medo” e abriu um filão para indústria cinematográfica americana, com vários filmes sobre o atentado, sobre a guerra que veio depois, sobre perda e pânico. Em sua maioria, reforçam o espírito patriótico do Tio Sam.

Os anteriores, Contagem Regressiva e O Suspeito da Rua Arlington, são voltados para a questão em si, e já apontavam o medo velado que existia, usando acontecimentos da época e quem sabe anunciando o que poderia vir pela frente.

A realidade que supera a ficção?!

4 comentários:

  1. Tem outro filme bem interessante envolvendo o 11 de Setembro não tão literalmente. Jogos do Poder fala do envolvimento dos americanos nos combates no Afeganistão e que, por tabela, teria ajudado de maneira decisiva a transformar aquela guerra no “Vietnã dos russos”. Numa operação secreta, envolvendo outros países, os EUA ajudaram a armar e treinar os mujahidin (guerreiros islâmicos), e, finda a guerra, saíram de cena, deixando atrás um país caótico. O filme mostra como a aliança com os muçulmanos desembocaria no 11 de Setembro e suas seqüelas. E que neste mundo é muito dificil calcular as consequencias.

    ResponderExcluir
  2. E o Caça ao Terrorista, com o Donald Sutterland e o Aidan Quinn, cujo mote foi a perseguição e captura do terrorista Carlos o Chacal, famoso nos anos 70 e 80? Já prenunciava a correria do Tio Sam atrás de super terroristas, bem como a conveniência das associações dos EUA com outros serviços secretos (no caso do filme o Mossad de Israel) para tanto criar, como erradicar ameaças terroristas.

    Abraço,

    J.Mattos

    ResponderExcluir
  3. Boas lembranças. Vale ressaltar que Jogos do Poder foi lançado depois dos atentados, em 2007. Parece ser um filme sério, mesmo com Tom Hanks e a Julia Roberts. Caça ao Terrorísta, é de 1997, bem antes do WTC vir abaixo, e também tem no elenco o Ben Kingsley. Lembrei de outro filme sobre a perseguição ao Carlos "O Chacal". É outro de 1997, com Bruce Willis e o Richard Gere (sim, ele um terrorista irlandês com cara de que vai "pegar" todo mundo). O nome do filme é "O Chacal"

    Abs

    ResponderExcluir